Arquivo da tag: Gravações

Gravações da SEDA começam hoje!

A Semana do Audiovisual de Cuiabá começou na última segunda feira, dia 13/12. E como todos os anos, o ritmo já é frenético. Ontem foi a etapa final do roteiro e as primeiras partes da produção e a partir de amanhã as gravações começam.

Os três projetos escolhidos deste ano são: Documentário sobre o direito a moradia, com cenas gravadas da comunidade Dandara, no interior de Belo Horizonte e também no São João Del Rei, em Cuiabá; o vídeo clipe da banda Maria Albina; e um vídeo híbrido entre documentário e ficção, baseada na Shake Shake Your Ass, que faz um ano na SEDA.

Os três gravam partes hoje e a mostra final é no domingo, dia 19/12.

Siga @pacotinhodeseda e acompanhe ao vivo!

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Chamada

Chegando no fim de semana.

Por Lígia Torres | Volume Comunicação

Gravação do Documentário Caximir

Gravação do Documentário Caximir

Depois de dois dias de oficinas teóricas e mais três de gravações intensas, os grupos formados durante a oficina de produção audiovisual que estão produzindo três curtas, finalmente estão entrando na fase de edição do material recolhido. Pode até parecer que estamos atrasados, mas a equipe está motivada e empenhada e já que compramos o desafio de aprender e produzir um curta em uma semana assim faremos.

O grupo que está mais avançado, é o que está capturando imagens e depoimentos de moradores e freqüentadores do Centro Histórico, eles estão terminando a edição e provavelmente amanhã tudo já estará pronto só à espera da mostra de domingo.

Edição do Clipe "Dias"

Edição do Clipe "Dias"

O segundo grupo que está produzindo o clipe Dias, da banda Snorks, já filmou em todas as locações e só falta a cena do show que acontecerá no MISC nesse sábado, e já está começando a edição em parceria.

Já o documentário do Caximir que está sendo pesquisado desde antes do 24h de cultura, está capturando depoimentos e iniciando a edição de um pocket do que será finalmente o documentário, já que é um tema muito amplo e uma semana é muito pouco e uma finalização às pressas poderia diminuir o valor de todo esse trabalho.

No inicio da noite, quando as equipes estavam reunidas no MISC, aconteceu uma mostra de curtas de Rafael Rolin juntamente com algumas explicações sobre seu coletivo e suas produções. Foram apresentados dois curtas, uma ficção e um documentário.

No período noturno aconteceram os shows com Ebinho Cardoso, que trouxe toda sua compostura e sua ótima música aos palcos da SEDA, e logo após aconteceu uma apresentação de Mauricio Ricardo que interpretou dois personagens, a primeira uma evangélica, pedagoga, revoltada, e o segundo a famosa Tati Baracati, que brinca com o público e tira sarro de todos sem restrições. Pra finalizar, o Vitrolas Polifônicas se apresentaram com a vocalista, Maísa Holland, no comando do baixo pois o baixista original não pode vir. A banda fez um esforço e selecionou as músicas que se encaixariam melhor nessa formação, conseguindo que a qualidade não caíssem tanto. Também contaram com participações especiais, primeiro de Otávio Pacheco, que é oficineiro de produção audiovisual e todou duas canções e a segunda de Ankh, guitarrista do Venial, que mandou um instrumental junto com os garotos.

Vitrolas Polifônicas e Otávio Pacheco

Vitrolas Polifônicas e Otávio Pacheco

Para conferir a cobertura noturna completa, acesse o Hell City.

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Câmera foi… Ação!

Por Dríade Aguiar | Volume

 

Gravação do documentário Caximir

Gravação do documentário Caximir

Essa foi a frase mais ouvida o dia inteiro hoje por aqui na SEDA. Nessa manhã não rolou nem as oficinas, como de costume: a ordem era adiantar ao máximo as gravações dos três projetos da Semana do Áudio Visual.

A equipe do clipe dos Snorks gravaram duas cena hoje. Uma foi no Shopping Três Américas, na loja Via Corpo, onde a penúltima cena do clipe foi rodada. De tarde rumaram para o Condomínio Canachuê, onde usaram duas casas como locação, para a primeira cena do projeto. A filmagem foi bem descontraída e dessa vez, além de Otávio Pacheco, Daniel Lisboa também supervisionou as gravações, ajudando até como cameraman. A terceira locação foi a Praça do Chopão, onde gravaram um take de passagem de tempo. Também rolou a presença do grupo está fazendo o making of de todos os três projetos.

Já com a equipe do Centro Histórico a coisa foi um pouco mais embaixo. Começaram essa tarde à capturar as imagens gravadas (transformar a fita em dados no computador) e nessa já engataram uma parte da edição. O documentário já conta com takes de várias personalidades e de partes da cidade que passam despercebidas por moradores, como pinturas inusitadas nas paredes das casas.

 

Debate 'Tecendo Rede com o Circuito Fora do Eixo'

Debate 'Tecendo Rede com o Circuito Fora do Eixo'

 

 

Acompanhados por Rafel Rolin do Massa Coletiva (que fez a direção de fotografia) o documentário do Caximir Buquê pôs a mão na massa essa tarde. Hoje finalizaram toda as cenas do ator Benoni da Confraria dos Atores que vai participar com as intervenções entre as entrevistas e as cenas do acervo que eles já tem. Isso tudo foi gravado em partes da UFMT e do centro da cidade, principalmente na Igreja Matriz. Amanhã, pela manhã e tarde, eles passam para as fases das entrevistas coletivas, com os integrantes do bando.

Às sete da noite aconteceu o terceiro debate da semana, “Tecendo Rede com o Circuito Fora do Eixo”, com Talles Lopes, do coletivo Goma e Alex Antunes da Rolling Stones. O debate foi bem intenso, contando com a participação de Rafael Rolin do Massa Coletiva e Ana Morena do DoSol e a mediação de Pablo Capilé do Espaço Cubo e Flaviany Tiemi do Movimento Panamby. Um dos principais pontos da discussão foi sobre como falta uma articulação maior da parte das tvs e seus produtores para a realização de um conteúdo programático único (ponto que foi tocado no debate de ontem também). “Falta um software, um canal que una o que a DoSol ta fazendo, que o Massa ta fazendo, que a gurizada do MIC tá fazendo…” disse Pablo Capilé. Além disso, Alex contou alguns estudos de caso, sobre como audiovisual sofre do mesmo mal que a música sentia (e ainda sente): como criar um eixo alternativo ao Rio-São Paulo. À certo ponto do debate Rafael pede por metas à serem cumpridas por aquele grupo, o que nos faz pensar que, desse debate, saia um núcleo duro de ação para uma criação de um Circuito Fora do Eixo do Audiovisual.

Pra fechar a noite aconteceu o evento Metal Free, que já fazia parte da programação do MISC. As bandas que tocaram foram Raiva em Paz, Antidemon (SP), Menorah e Filhos do Ódio, o Hell City fez a cobertura completa da noite, e pra dar uma olhada é só clicar aqui.

 

Antidemon (SP), show noturno

Antidemon (SP), show noturno

 

 

As fotos da SEDA podem ser encontradas nesse flickr.

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized